Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

68,6666666666667

Classifique:

Futebol Profissional

Três técnicos entram para história do clube e cumprem missão da Série D para a primeira divisão

Publicado: segunda-feira,23 de novembro de 2015, às 12:07
Por: Daniel Lima

Não é só Marcelo Martelotte que merece ser lembrado. Apesar de o treinador ascender o Santa Cruz da Série B à elite do futebol brasileiro, outros dois técnicos contribuíram para o reerguimento do clube no cenário nacional: Zé Teodoro e Vica. A história é longa, mas é inesquecível para os tricolores. Grande parte da torcida coral guarda na memória os feitos anteriores, mesmo em comemoração pelo acesso, conquistado neste sábado (21), contra o Mogi Mirim/SP.

Rebobinando o filme da ressurreição do Santa, fica mais fácil de enxergar a parcela de contribuição do técnico Zé Teodoro, que já era conhecido no futebol de Pernambuco (campeão estadual pelo Náutico em 2004, mesmo ano em que também treinou o Sport Recife). Foi em dezembro de 2010 que ele chegou ao clube após Antônio Luiz Neto ser eleito presidente.

O desafio era árduo, mais ou menos do tamanho do estádio do Arruda. As missões que pareciam ser complicadas foram rapidamente cumpridas: conquistou o Campeonato Pernambucano de 2011, acabando com o jejum dos tricolores de seis anos sem títulos estaduais, e, no mesmo ano, tirou o Mais Querido da Série D, onde os corais estavam desde 2009, e colocou na terceira divisão.

Após levantar a taça do Pernambucano, em 2011, o Santa Cruz impediu o hexacampeonato do rival Sport Recife. Depois daí, Zé Teodoro começou a ganhar o prestígio da torcida tricolor, que batizou o comandante como Zé "Teadoro", apelido carinhoso. Depois dos dois feitos pelo clube, o treinador recebeu várias propostas, mas abraçou a causa do trabalho a longo prazo.

Em 2012, Zé renovou o contrato e voltou a ganhar o estadual, sagrando-se bicampeão pernambucano, mais uma vez em cima do Sport Recife, que perdeu a final na Ilha do Recife e em pleno aniversário. Porém, não conseguiu o acesso à Série B e frustrou os torcedores corais com a eliminação na primeira fase da terceira divisão. No final de novembro, a sua era foi encerrada. O ex-treinador deixou o clube com um aproveitamento de 59,70%, obtendo 48 vitórias, 19 empates e 24 derrotas, em 91 jogos.

O substituto de Zé Teodoro foi Marcelo Martelotte, ex-goleiro do clube nos anos de 1993 e 1999. Contratado no início de 2013 pelo tricolor, ele conquistou, na sua primeira passagem como treinador do Santa, o tricampeonato pernambucano e venceu o Sport Recife, na Ilha do Retiro. O maior rival completou três anos seguidos de freguesia.

Contudo, os laços de amor entre o técnico e a torcida tricolor chegaram ao fim após Martelotte acertar com Sport Recife logo depois de ganhar o estadual, irritando a maioria dos torcedores corais. O profissional de 46 anos deixou o clube com um aproveitamento de 65%, comandando a equipe em 27 partidas, com 16 vitórias, cinco empates e seis derrotas. Além de treinar os rubro-negros, ele dirigiu o Náutico no mesmo ano (2013) e acabou conseguindo o feito de ser técnico dos três grandes da capital numa mesma temporada.

Sem treinador, a diretoria do Santa agiu com cautela e acertou ao apostar em Vica, que foi oficializado no final do mês de agosto de 2013. O treinador colocou ordem na casa e no fim do ano conseguiu o acesso à Série B, com direito ao título do Brasileiro da terceira divisão. Depois de alcançar o objetivo, estendeu o vínculo com o tricolor até 2014, um ano de frustração no centenário do clube. Foi eliminado pelo Sport Recife, nos pênaltis, na semifinal do estadual, perdendo o tetracampeonato, e também caiu fora nas quartas de final da Copa do Nordeste, sendo despachado pelo maior rival. O fim da era do técnico estava perto.

Após o empate em 1 a 1 contra o ABC/RN, pela 1ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2014, Vica pediu demissão. Durante o período em que esteve no clube, ele comandou o time em 40 jogos, acumulando 21 vitórias, 11 empates e oito derrotas. No decorrer da competição, Sérgio Guedes e Oliveira Canindé passaram pelo comando técnico, mas não obtiveram sucesso e o Santa Cruz terminou a Segundona na 9ª posição. 

Por fim veio Marcelo Martelotte. Após a demissão de Ricardinho, técnico campeão pernambucano no primeiro semestre, ele assumiu o comando na 8ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B, na sua quarta passagem pelo Mais Querido, a segunda como treinador. Após ser contratado no dia 13 de junho, encontrou o time na zona de rebaixamento, na 18ª colocação, com apenas cinco pontos, e chegou com um pensamento de recuperação, acreditando numa reviravolta. A equipe coral cresceu durante a competição, entrou no G4 e ascendeu da segunda divisão à Série A com uma rodada de antecedência. A campanha e o trabalho do profissional de 46 anos foram excepcionais. Em 30 jogos, obteve 18 vitórias, cinco empates e sete derrotas, com um aproveitamento de 65,5%.

Foto: CoralNET

Compartilhe:

Três técnicos entram para história do clube e cumprem missão da Série D para a primeira divisão

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.