Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

72,1

Classifique:

O Clube

1999 a 2015: semelhanças entre Alírio Moraes e Jonas Alvarenga, ex-presidente do Santa Cruz

Publicado: domingo,13 de dezembro de 2015, às 10:33
Por: Daniel Lima

Ser presidente do Santa Cruz é um dos maiores desejos de todos os tricolores. Mas a tarefa não é tão simples quanto alguns pensam. Em 101 anos de história, 47 figuras ocuparam a cadeira da presidência, mas poucos conseguiram credibilidade com os torcedores corais. Atualmente, o responsável por conduzir o clube é o advogado Alírio Moraes, aclamado como o novo presidente para o triênio (2015-16-17) no mês de dezembro do ano passado. Como era o único candidato, foi eleito por meio do voto simbólico. 

Passado o primeiro ano de gestão, o atual presidente ganhou respeito dos fãs corais. A confiança foi adquirida ao longo da temporada após o sucesso do Santa. Foi campeão pernambucano, garantindo a classificação para as Copas do Nordeste e do Brasil do ano que vem, conquistou o acesso à elite e ainda terminou o Brasileiro da Série B como vice-campeão. 

Além das vitórias dentro de campo, aumentou o número de sócios do clube (de 4.332 para mais de 10 mil) com a contratação bombástica do atacante Grafite, que retornou ao Arruda depois de 13 anos, implantou projetos sociais, equilibrou parte das finanças, profissionalizou setores do administrativo e só falhou na construção do Centro Treinamento, uma das suas promessas. 

Os planos de Alírio Moraes para 2015 foram tão ambiciosos, que a torcida coral até chegou a brincar com o presidente, chamando-o pelo apelido “Delírio”. Contudo, no final das contas, ele encerrou o primeiro ano do seu mandato com muita moral para dar continuidade ao trabalho pelos próximos dois anos. 

Alguns pontos da gestão atual podem ser comparados ao mandato, entre 1999 e 2000, de Jonas Alvarenga, ex-presidente do Santa Cruz e sucessor de Edelson Barbosa. Em dezembro de 1998, ele foi eleito e assumiu sonhando em levar 80 mil sócios para o Arruda. Não conseguiu a marca, mas, na época, o clube passou de 464 para 27 mil sócios em dia. Na ocasião, criou o "Projeto permanente de fortalecimento financeiro", com o seguinte slogan: "Faça um gol pelo Santa". Para alavancar o número de associados, foram anunciados dois reforços “bomba”: os argentinos Mancuso, volante, e o zagueiro Almandoz, ambos tinham 29 anos naquele tempo. 

Alvarenga também tinha dois objetivos prioritários: ganhar o Campeonato Pernambucano e retornar à Primeira Divisão do Brasileiro. No futebol, queria transformar o tricolor no “Barcelona do Nordeste”. No primeiro semestre daquele ano (1999), o Santa enfrentou o Sport Recife na final do estadual. Empatou em 2 a 2 no Arruda e perdeu pelo placar de 2 a 1, quando o maior rival sagrou-se campeão. Após perder o título pernambucano, o que era tristeza se transformou em alegria no final da temporada depois da conquista histórica do acesso à Série A, o primeiro do clube.

Em 2000, no segundo ano do mandato de Jonas Alvarenga, o presidente sofreu uma forte pressão da torcida coral. A cobrança foi grande por resultados, até porque o Santa Cruz perdeu novamente o Campeonato Pernambucano para o Sport Recife, mas se manteve da Primeira Divisão do futebol brasileiro, encerrando a sua trajetória por cima. 

Na temporada do ano que vem, o presidente Alírio Moraes tem grandes desafios: conquistar o bicampeonato estadual, buscar o título da Copa do Nordeste, ficar numa boa colocação na Copa do Brasil e permanecer na Série A. Apesar do bom relacionamento do presidente com a torcida, o futebol é movido por resultados e qualquer fracasso pode custar caro.

Foto: CoralNET

Compartilhe:

1999 a 2015: semelhanças entre Alírio Moraes e Jonas Alvarenga, ex-presidente do Santa Cruz

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.