Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

90,125

Classifique:

Futebol Profissional

Preparação física e mudança de ambiente: peças-chave para o sucesso do Santa Cruz na temporada 2015

Publicado: segunda-feira,28 de dezembro de 2015, às 08:52
Por: Daniel Lima

O Santa Cruz terminou a temporada 2015 “voando alto”. Dentro de campo, mostrou ser um time bem mais preparado fisicamente que os adversários, principalmente na reta final e decisiva do Campeonato Brasileiro da Série B. Não é à toa que o técnico Marcelo Martelotte sempre fazia questão, após as vitórias, de enaltecer os profissionais responsáveis pela parte física do elenco. Em entrevista exclusiva para o portal CoralNET, o preparador Jailton Cintra (foto) contou alguns segredos para o clube conseguir o tão sonhando acesso à Série A. 

No Campeonato Pernambucano, a comissão técnica do Santa foi montada pelo treinador Ricardinho, que tinha como auxiliar o seu irmão, Rodrigo Pozzi, e George Castilhos como preparador físico. Apesar da conquista do estadual, o ambiente no clube era desfavorável e cheio de problemas internamente. As coisas só começaram a melhorar depois da 7ª rodada da Série B. 

Em 13 de junho, Ricardinho foi demitido, juntamente com os profissionais que trouxe, e Marcelo Martelotte assumiu o comando. Foi aí que a comissão técnica da casa voltou a ganhar vez no Arruda, quando Jailton Cintra e Joelson Corrêa, além do fisiologista Clóvis Calado, reapareceram como os principais responsáveis pela preparação física. A chegada do novo treinador, que teve uma passagem vitoriosa em 2013 no tricampeonato estadual, mudou a filosofia de trabalho do clube.

“No início do ano, na conquista do Pernambucano, era outra comissão técnica. No começo do Brasileiro, tivemos problemas com relação a resultados e algumas situações que aconteceram dentro do vestiário. Depois da saída de Ricardinho, chegou Marcelo Martelotte, um profissional com quem já tínhamos trabalhado. Na primeira passagem, tivemos êxito. Ele nos deu total credibilidade para trabalharmos”, disse Jailton Cintra. 

Depois da chegada de Martelotte, o Santa reagiu de forma avassaladora na competição nacional. Saiu da zona de rebaixamento, especificamente da 18ª colocação, entrou no G-4 e terminou como vice-campeão da Série B. Uma nova metodologia de trabalho foi imposta e vários aspectos foram corrigidos ao longo do tempo. 

“Conseguimos detectar alguns fatores em nível específico. Trabalhos de velocidade e de força, fazendo com que os atletas saíssem da zona de degola para o segundo lugar. Evoluímos não só na parte física, como nas partes tática e técnica. Deixamos a individualidade de lado e resgatamos o trabalho”, declarou o preparador coral. 

Com a maratona de jogos do Campeonato Brasileiro da Série B e muitas viagens num espaço curto de tempo, a comissão técnica priorizou o descanso dos jogadores, realizando trabalhos regenerativos. Jailton Cintra elogiou também os membros do Departamento Médico e Fisiológico do Santa Cruz, ressaltando que outros profissionais contribuíram para o clube voltar à elite do futebol brasileiro. 

“Fomos jogo a jogo, degrau a degrau. Do meio para o fim da competição, tínhamos convicção que precisávamos descansar um pouco mais o grupo. Foram muitos jogos um atrás do outro e viagens, principalmente no mês de setembro. Fizemos um descanso, trabalhos regenerativos bem feitos. Também deve-se enaltecer a fisiologia, Departamento Médico, colaboradores, que sempre ajudaram o clube. Tudo que foi organizado a nível estrutural e logístico. Com isso, tivemos êxito”, destacou. 

Foto: CoralNET

Compartilhe:

Preparação física e mudança de ambiente: peças-chave para o sucesso do Santa Cruz na temporada 2015

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.