Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

58,8571428571429

Classifique:

Futebol Profissional

Apesar da derrota para o Bahia, Martelotte vê evolução do Santa Cruz e detona bola do Nordestão

Publicado: domingo,14 de fevereiro de 2016, às 19:27
Por: Daniel Lima

No futebol, nem sempre a superioridade é revertida em vitória. Foi justamente isso que aconteceu com o Santa Cruz, que perdeu para o Bahia/BA por 1 a 0, no Arruda, na estreia da Copa do Nordeste. O técnico Marcelo Martelotte gostou da atuação do seu time no primeiro tempo, mas lamentou a mudança de postura na etapa complementar. O que deixou o treinador satisfeito foi a evolução do time em relação aos três primeiros jogos no Campeonato Pernambucano.

"Merecíamos algo melhor em termos de resultado. O comportamento da torcida (após o jogo) mostrou isso. Saímos derrotados, mas isso acontece no futebol. É muito mais fácil corrigir uma equipe após boa atuação. Já demos sinais que temos condições de jogar num nível muito alto. Fizemos um bom jogo, mas não ganhamos. Nem sempre a bola vai bater na trave e sair. O importante é que mostramos uma evolução", avaliou.

Mesmo sem querer colocar desculpas na bola do jogo, Martelotte detonou o novo material utilizado na Copa do Nordeste e lembrou que a maioria dos titulares só teve a oportunidade de treinar uma vez, antes do jogo, com o produto. Inclusive, os jogadores fizeram esse questionamento no dia anterior à partida.

BOLA DA COMPETIÇÃO

"Você falar da bola depois de uma derrota vai soar como uma desculpa horrível. Eu sei que ela é redonda, mas é horrível. Mesmo se treinarmos dois, três meses, não vai melhorar muita coisa. Ela vai continuar sendo ruim, mas com tudo se acostuma. A maioria dos jogadores que atuaram hoje só fez um treino com essa bola. Realmente, ela é muito diferente da que a gente está acostumado a jogar no Pernambucano, no Brasileiro. Outras pessoas fizeram esse tipo de comentário. Já joguei futebol e nem toda bola é igual", criticou.

O JOGO
"No segundo tempo, fomos desorganizados, principalmente no aspecto de dar possibilidade do adversário contra-atacar. Pedi no intervalo para que mantivéssemos a nossa postura, a organização. O jogo foi mais equilibrado no segundo tempo, mas realmente na etapa inicial jogamos melhor", analisou.

Compartilhe:

Apesar da derrota para o Bahia, Martelotte vê evolução do Santa Cruz e detona bola do Nordestão

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.