Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

7,92307692307692

Classifique:

Futebol Profissional

Treinador do Santa questiona o calendário da CBF e comenta fim do campeonato estadual

Publicado: segunda-feira,25 de julho de 2016, às 08:18
Por: Messias Amorim

Os times do Nordeste – região com o maior número de estados do Brasil – são os que mais se desgastam com viagens no Campeonato Brasileiro. Além disso, o calendário é apertado e dificulta o trabalho dos clubes. O técnico do Santa Cruz, Milton Mendes, falou das datas estabelecidas pela CBF e do desgaste dos jogadores. O comandante tricolor defendeu datas mais abertas e um Brasileirão mais longo, assemelhando-se ao calendário europeu e, neste modelo ideal, comentou a possibilidade do campeonato estadual acabar.

“Temos que treinar bem para jogar bem. Existe uma inversão de valores por ter muitos jogos. Você não consegue uma base forte e começa a ter problemas. Quem não tem um plantel numeroso, não consegue fazer alguma mescla nas competições ou jogos. O Neris sentiu de novo e está fora do jogo, por exemplo. É complicado. Deveríamos fazer um campeonato brasileiro mais longo, provavelmente tirarmos o estadual e termos mais datas. Intercalar como as competições europeias”, analisou Mendes.

 “Tem milhões de coisas que deveríamos nos debruçar com muito mais tempo. A CBF está capacitada para isso, tem gente suficiente para isso, mas não fizeram ainda por causa de uma data qualquer ou algum alinhamento com os clubes”, disse.

FIM DO ESTADUAL
“Não estou dizendo que sou a favor do fim do estadual, mas as datas precisam ser mais abertas. A gente aqui do Recife não pode jogar numa quarta-feira e depois no sábado, com uma viajem no meio de 7 horas”, questionou o treinador coral.

Compartilhe:

Treinador do Santa questiona o calendário da CBF e comenta fim do campeonato estadual

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.