Coralnet.com.br - Página principal

Com o Santa Cruz das arquibancadas para o Mundo - desde 1996

Plantão de Notícias

11,4444444444444

Classifique:

Futebol Profissional

Experiente e porta voz do elenco, Grafite comenta sobre possível greve: "Foi nosso último recurso"

Publicado: quinta-feira, 9 de novembro de 2017, às 18:28
Por: Leonardo Albertim

Ídolo e líder dentro do elenco atual do Santa Cruz, Grafite vem chamando a responsabilidade fora das quatro linhas para informar tudo que acontece nos bastidores do clube. Após a ameaça de greve e uma notificação feita à diretoria, com respaldo do presidente Sindicado dos Atletas, ficou acordado que, caso uma providência não seja tomada até a próxima segunda, haverá paralisação.

Segundo o camisa 23, o desejo do elenco é que pelo menos mais um mês de salários seja pago, principalmente aos funcionários. Pelo que ficou acertado entre cúpula e os líderes (Grafite, Júlio César, Derley e Ricardo Bueno), o time entrará em campo no sábado, contra o Boa Esporte, mas isso pode não se repetir na terça, contra o Paraná.

“Não havíamos feito a notificação antes por falta de respaldo com a lei. Mas agora já providenciamos uma notificação e deve ser entregue ao clube amanhã ou segunda-feira .Até lá vamos cumprir nossas obrigações com treinos e com jogos. Quando chegar na terça-feira vamos ver o que acontecerá e se o clube vai fazer o combinado ou não. A partir do momento que o clube for notificado, tem 48h para tomar providência. Se isso não acontecer, a paralisação é para jogos também”, garantiu.

ACORDO
“Pagar tudo eu acho difícil. A dividia é grande com funcionários e comissão. O fim do ano está chegando e todos querem dar um presente ao filho, fazer uma feira. E você tendo seis meses de atraso isso fica complicado. Acho que pagando mais um mês ajuda bastante. Não queríamos fazer isso, mas foi o último recurso que encontramos. Não sei como eles vão fazer isso, mas tentamos conseguir algo para o fim do ano, principalmente para os funcionários”.

FUNCIONÁRIOS
Eles recebem salários mínimos e cinco ou seis meses fazem muita falta. Procuramos ajudar da melhor forma. Não só eu, mas outros atletas também, inclusive os mais novos. Espero que o clube consiga correr atrás de recursos para sanar os problemas, apesar de ser difícil. Os funcionários são à base do nosso dia a dia. Sem eles não teríamos sucesso no nosso trabalho”.

JURÍDICO
“É um pouco difícil pra mim. Sou jogador, sou leigo nesse negócio de justiça e de direito. Acho que o clube poderia se expressão melhor. Ou até mesmo o próprio sindicato. Mas acho que a partir do terceiro mês de atraso o jogador já pode fazer greve. A gente se sente isolado no nosso dia a dia. Estamos sozinhos nessa luta.É um momento difícil que o clube vive, politicamente, financeiramente. Não quero entrar em detalhes por não ser da área jurídica”

MARTELOTTE
“Martelotte está ao nosso lado. Na conversa do nosso pré-jogo eu exaltei muito a figura dele, que vem fazendo um trabalho motivacional. Marcelo também está de mãos atadas por ser um funcionário do clube. A situação é delicada. É difícil saber o que acontece”.

PRESIDENTE
“Meu relacionamento com Alírio ficou bem mais próximo. Ele foi recentemente a minha casa e falou que queria deixar o clube em boas condições, sabendo que não iria permanecer. Torcemos para que a próxima diretoria consiga sanar e levante o clube dessa queda que vem acontecendo nos últimos meses”.

MOMENTO
É frustrante. Todos sabem do carinho que tenho pelo clube. Nenhum jogador volta quatro vezes sem ter nenhum sentimento. Sempre quis ajudar o Santa Cruz. Sei que não estou ajudando muito dentro de campo, de forma técnica. Mas procuro ajudar fora, no dia a dia. Givanildo (Oliveira) e Martelotte falaram que desde antigamente o clube já tinha esses problemas. É um sentimento de tristeza por tudo que a gente conhece e sabe da grandeza. Tivemos uma chance única crescer no cenário brasileiro ano passado e não conseguimos”.


ESPERANÇA
“Em momento algum nós conseguimos ganhar os 4 jogos srguidos. Faem 10 que a gente não vence. Mas a esperança está na atitude que estamos tendo nos últimos jogos. Temos condições de ganhar do Boa Esporte e temos vamos fazer um jogo contra o Paraná em casa.Contra o Vila Nova nós jogamos de igual para igual. Não vou iludir o torcedor dizendo que não vamos cair, mas vamos lutar até o final, até o último fio de esperança”.

Compartilhe:

Experiente e porta voz do elenco, Grafite comenta sobre possível greve: "Foi nosso último recurso"

* Os comentários são de total responsabilidade dos internautas. Não toleramos mensagens contendo palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa.